Os sonhos e suas sabedorias

Os sonhos e suas sabedorias
16 de fevereiro de 2017 zweiarts

Sonhar é intrínseco à natureza humana. Todos sonhamos. Os sentimentos, ideias, fantasias e percepções que temos durante o sono referem-se a conteúdos inconscientes, muitas vezes incoerentes e confusos, mas, extremamente, ricos. Eles não vêm de um ambiente externo, mas de conteúdos subjetivos e, por este motivo, são legítimos.
Antigamente, os sonhos eram vistos como presságios, ou mensagens dos deuses e, mesmo naquela época, já havia diferentes interpretações. Hoje, sabemos que eles são repletos de símbolos e significados e que fornecem muitas pistas para o sonhador,

sobre ele mesmo. Os sonhos são genuínos, espontâneos e não há meios de manipulá-los. São conteúdos puros da psique humana, que não sofrem interferências e por isso são utilizados como recursos complementares, em processos terapêuticos, como fontes de sabedoria interior.

Algumas pessoas têm sonhos recorrentes, outras têm sonhos distintos, outras possuem a sensação de sonhar pouco e não recordar muito de seus sonhos. Em todas estas situações eles estão tentando fazer com que o indivíduo enxergue algo, pois há mensagens ali. A frequência de sonhos é muito pessoal e depende da energia e do período em que a pessoa se encontra. Há sonhos que, de tão marcantes e significativos, nunca são esquecidos e há outros tantos que não conseguimos recordar, o que é, absolutamente, comum.

Quando nossos sonhos são respeitados e, devidamente, decifrados, passamos a desfrutá-los para o nosso desenvolvimento pessoal. Conte (com) seus sonhos, faça seus registros e leve-os a um ambiente seguro onde possa interpretá-los. Caso contrário, serão apenas meros sonhos…

Sâmia Riachi – Psicóloga Clínica – CRP 06/98585

Publicado em Revista Em Condomínios 02/2017